7 de julho de 2014

Samba de roda baiano é considerado Patrimônio Cultural



O samba de roda do recôncavo baiano foi registrado como Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2004 e proclamado Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2005.

É uma expressão musical, coreográfica, poética e festiva das mais importantes e significativas da cultura brasileira. Seus primeiros registros, já com esse nome e com muitas das características que ainda hoje o identificam, datam dos anos 1860.

O Samba de Roda pode ser realizado em associação com o calendário festivo – caso das festas da Boa Morte, em Cachoeira, em agosto, de São Cosme e Damião, em setembro, e de sambas ao final de rituais para caboclos em terreiros de candomblé. Mas ele pode também ser realizado em qualquer momento, como uma diversão coletiva, pelo prazer de sambar.

Historiadores da música popular consideram o Samba de Roda baiano como uma das fontes do samba carioca que, como se sabe, veio a tornar-se, no decorrer do século XX, um símbolo indiscutível de brasilidade.

A narrativa de origem do samba carioca remete à migração de negros baianos para o Rio de Janeiro ao final do século XIX, que teriam buscado reproduzir, nos bairros situados entre o canal do Mangue e o cais do porto, seu ambiente cultural de origem, onde a religião, a culinária, as festas e o samba eram partes destacadas.

Parece indiscutível que as famosas tias baianas – como tia Amélia, tia Perciliana e sobretudo tia Ciata – e seus filhos – como Donga e João da Baiana – tiveram papel de relevo na fase pioneira do samba no Rio de Janeiro, sobretudo até meados dos anos 1920.

Depois disso, o Samba de Roda baiano continuou sendo uma das referências do samba nacional, presente nas obras de baianos nacionais como Dorival Caymmi, João Gilberto e Caetano Veloso, assim como na ala das baianas das escolas de samba e nas letras de inúmeros compositores de todo o País.

17 comentários:

  1. Samba, ordinária!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma expressão discriminatória, muito usada há várias décadas, em Santo Amaro da Purificação dando a entender, que a NEGRA, só se aproveitava o seu rebolado, na roda do samba.

      Excluir
    2. Segundo os octogenários e os de mais idades afrodescendentes, nascidos e residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que o primeiro SAMBA, gravado em disco de vinil, foi do cantor ,apelidado de Bahiano, Manuel Pedro dos Santos, nascido em Santo Amaro na Bahia. Conhecido das TIAS BAIANAS.

      Excluir
  2. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes, residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que o Samba de Roda, era um dos meios de diversões, e festejos religiosos dos negros escravizados, na lavoura da cana de açúcar, na região canavieira do Recôncavo século XVII, e que se espalhou, por outras regiões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No texto a cima, o original foi escrito: OS AFRODESCENDENTES, NASCIDOS E RESIDENTES EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO.

      Excluir
  3. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes, residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que o Samba em forma de Roda,(todos de pé), produziam menos barulhos, e não incomodavam tanto os senhores de engenhos, nem os da casa grande. Já o Samba em que todos sentavam, entendiam os negros escravizados, ser bem mais barulhentos, e os feitores acabavam com o samba, para não incomodar Sinhô e nem Sinhá.

    ResponderExcluir
  4. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes, residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que a lavoura da cana de açúcar no Recôncavo, só prosperou, quando encontraram o SOLO DE MASSAPÊ, apropriado para o plantio. os demais solos, só serviu para experiências frustadas, desanimadoras e muitos engenhos abandonados, no início do século XVII.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No texto original foi escrito: OS AFRODESCENDENTES, NASCIDOS E RESIDENTES EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO.

      Excluir
  5. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes, residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que, as tias baianas, CIÁTA, PERCILIANA e AMÉLIA, nasceram na cidade onde passa o rio subaé, no período crítico da escravidão, ou seja,SANTO AMARO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No texto a cima, o original foi escrito: OS AFRODESCENDENTES, NASCIDOS E RESIDENTES EM SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO.

      Excluir
  6. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes, residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que o Samba de Roda, hoje Patrimônio da Humanidade, onde muitas cidades se apresentam como detentoras destas raízes, lembram que a mais de meio século, estes movimentos era considerando em Santo Amaro, como "COISA DE NÊGO", vagabundos, preguiçosos, desocupados, malandros e outros tipos, onde o racismo era perverso, e desalentador, incentivando muitos dos teus sambadores e sambadeiras, partir da cidade para outras localidades, tal como diz a letra do samba,"Vou me embora pro sertão, pois aqui não me dou bem". E deste modo foi espalhados o samba.

    ResponderExcluir
  7. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes nascidos e residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam, que Manuel Henrique Pereira (Besouro Cordão de Ouro) compôs muitos versos para samba de roda, na cidade de Santo Amaro, como não sabia ler e nem escrever, não deixou escritos, muitas das músicas de sua autoria, são cantadas até hoje, transformadas de domínio público.

    ResponderExcluir
  8. INTERESSANTE, que as embarcações foram responsáveis no transportes dos negros africanos, escravizados nas colonias Portuguesas aqui no Brasil, no trajetos os negros conheceram pesados sofrimentos, muitos morreram com saudades da terra, por não suportar tantos castigos, era apenas o início das dores, que no dia 13 de Maio de 1888, dia da libertação. Em Santo Amaro da Purificação esta data, é comemorada até hoje.

    ResponderExcluir
  9. A barquinha, é uma homenagem aos NAVIOS NEGREIROS?

    ResponderExcluir
  10. Todas as informações a cima, foram extraídas DOS NASCIDOS E RESIDENTES, com mais de 80 anos do município de SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO, com relação ao SAMBA DE RODA, CAPOEIRA E O MACULELÊ DO MESTRE POPÓ.

    ResponderExcluir
  11. POR QUÊ OCULTAR AS RIQUEZAS FOLCLÓRICAS GENUÍNAS DE SANTO AMARO DA PURIFICAÇÃO? QUAL O OBJETIVO?

    ResponderExcluir
  12. Segundo os octogenários e os de mais idades, afrodescendentes nascidos e residentes em Santo Amaro da Purificação, afirmam que a "LAPINHA" Contida nos versos da música do Mestre Besouro, trata-se do antigo distrito que pertencia a Santo Amaro, "LAPA", Hoje é o município de Amélia Rodrigues.

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas caluniosas, defamadoras, Inadequadas ou que possuam conteúdo ofensivo.

Os comentários postados são de inteira responsabilidade dos respectivos comentaristas e não correspondem, à opinião dos autores do Santo Amaro Notícias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...