13 de janeiro de 2016

MP recomenda à Prefeitura de Santo Amaro que substitua material publicitário da “Lavagem da Purificação”

O material publicitário veiculado pela Prefeitura Municipal de Santo Amaro para divulgação da “Lavagem da Purificação de 2016” deve ser substituído pelo Município nos próximos três dias. Isso é o que recomenda o promotor de Justiça João Paulo Schoucair em documento expedido neste dia 13.
Na recomendação, ele registra que o material publicitário atual não confere representatividade aos grupos étnico-raciais que compõem a população do município. Por isso, deve ser substituído de forma que assegure uma representação justa e proporcional aos grupos étnico-raciais que compõem a população local.

Para elaboração do documento, o promotor de Justiça levou em consideração a Constituição Federal e outros diplomas legais, como a Lei nº 12.288/2010, que institui o Estatuto da Igualdade Racial em âmbito nacional. Ela estabelece que “a produção veiculada pelos órgãos de comunicação valorizará a herança cultural e a participação da população negra da história do país”.
Além disso, lembra João Paulo Schoucair, o Estatuto da Igualdade Racial e de Combate à Intolerância Religiosa do Estado da Bahia adota como diretriz a promoção da igualdade racial, com observância da dimensão inclusiva “nas esferas pública e privada, assegurando a representação equilibrada dos diversos segmentos étnico-raciais componentes da sociedade baiana (...)” e determina que “a política de comunicação social do Estado e a publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas institucionais do Estado se orientarão pelo princípio da diversidade étnico-racial e cultural, assegurando a representação justa e proporcional dos diversos segmentos raciais da população nas peças institucionais, educacionais e publicitárias (...)”.
Cecom/MP - Telefones: (71) 3103-0446 / 0449 / 0448 / 0499 / 6502

13 comentários:

  1. Tantas outras prioridades e o povo se preocupando com propaganda de lavagem.Já pagamos esses cartazes com nosso dinheiro, agora serão destruídos, pagaremos novamente tudo isso é um absurdo!A prefeitura quer passar a mensagem da festa e ficou muito bem entendida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O povo não se preocupou com a propaganda da lavagem, foi a GAFE cometida no cartaz. Cadê o DISCERNIMENTO.

      Excluir
  2. Acho engraçado é o povo,uns por está no governo defende a divulgação do cartas outros que não fazem parte são contra e tem outros que msmo fazendo parte achou um erro porém tem medo de se manifestar .senhor promotor o sr está fazendo um brilhante trabalho em nossa cidade está tomando parte de tudo, por favor antes da festa começar tente cancelar a festa pois está correndo o risco de o hospital da santa casa fechar, todos os funcionários estão com o aviso prévio batido .só temos a vs excelência. Sff

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este ano, é ano de eleição, a decisão está nas tuas mãos.

      Excluir
  3. No espaço do CAMPO DE CARIDADE, onde as palmeiras se encontravam, sugiro até o pessoal da SANTA CASA providenciar plantar outra palmeira indiana no local, que é tão bonita e só tem uma palmeira agora, quero ver se vão escolher o local onde vão querer ficar, se é junto dos pretos, dos brancos, dos loiros, dos carecas, dos cabeludos, nas quadras das paredes ou do chão, o tipo da roupa, a cor do caixão, a cor da vela... Ficam jogando esta de raça, cor, religião, etc., para mistificar a opinião pública e a carruagem está passando, o resultado todo mundo já conhece: o de cima sobe e o de baixo desce. Festa profana se não me engano, só existe em Santo Amaro – Bahia. Pouco se lucra. Quem pode vai para sua praia comer seu peixe ou com medo se recolhe cedo em sua casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Festa profana acabou. Muita violência, faltam respeito, pessoas revoltadas, foi-se o tempo que o objetivo era se divertir, vestir uma roupa nova, passear, paquerar, contar causos no Bagacinho, rever velhos amigos, tudo na maior harmonia e sem temor. Turistas que estão em Salvador, preferem ficar nas praias e curtir os eventos pré-carnavalesco na capital, que são muitos, não se dispor nem pegar estrada para vir para Santo Amaro. É um caso para ser pensado e analisado. Enquanto existir esta guerra fria camuflada, assaltos, mortes, necessário dar um tempo, torcendo que as coisas melhorem e as pessoas se eduquem para voltarmos ao passado. Tem que começar pela família dentro de casa. Senão, é melhor acabar de vez. A festa profana devido à violência, atualmente está muito dividida se deve continuar ou não.

      Excluir
  4. Povo santamarense, lembrem-se que 2016 é ano de eleições. Vejam se não votam errado.

    ResponderExcluir
  5. os próprios negro são preconceituoso,vevem bajulando os brancos.negro so´é bem visto se tiver dinheiro caso contrario fica de fora de tudo.
    Por isso eu aprendir uma coisa que conquistar algo estudem.

    ResponderExcluir
  6. Realmente houve erro, e como não temos Secretário de Cultura! Enfim concordo plenamente perdemos dinheiro novamente. Estratégia será?

    ResponderExcluir
  7. vc deve trabalhar na prefeitura para ser a favor do prefeito desse jeito

    ResponderExcluir
  8. Chega de tanta humilhação pra esses bravos da Santa Casa. Só mentiras que todos vêem ouvindo e até sendo agredidos fisicamente por pessoas da Prefeitura. Pelo amor de Deus Sr. Promotor cuida de nossasajores riquezas as pessoas.

    ResponderExcluir
  9. Festa profana só existem em Santo Amaro, por quê foi onde tudo começou, apresentação do MACULELÊ, CAPOEIRA, SAMBA DE RODA, LINDRO AMOR, CHARANGAS, RETRETAS, SERESTAS, DECORAÇÃO COM CAVALINHOS DE FLECHAS DA CANA, APRESENTAÇÃO DA BAIANAS PARA LAVAR DENTRO DA MATRIZ, E DEPOIS AS ESCADARIAS E OUTROS. Só era permitido estas manifestações durante os festejos da Padroeira, respeitando a ordem. A festa era patrocinadas pelos senhores de engenhos, a muitos e muitos anos atrás, uma forma de agradecer pelas boas colheitas nos canaviais, depois criaram uma loteria, para arrecadações de fundos para manter a festas, por último, a prefeitura se encarregou da manutenção de parte da festas, nas primeiras administrações, a manutenção dos festejos foi garantidos, mais de umas décadas para cá, a prefeitura alterou demasiadamente o curso dos festejos. O que antes era uma referencia, para muitas cidades e até em París, passaram a copiar, transformaram a MANIÇOBA (prato típico de Santo Amaro) em MACARRONADA, festa para inglês ver, como fazem por aí a fora, dando a apelido de Cultura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SÓ QUEM CONHECE OU É SANTAMARENSE ENTENDE!!!

      Excluir

Os comentários postados pelos leitores são de responsabilidade dos respectivos comentaristas e não correspondem, à opinião dos autores do Santo Amaro Notícias.

Todos os comentários são moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas inadequadas ou que possuam conteúdo ofensivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...