22 de julho de 2017

Bahiatursa garante repasse de R$ 306 mil à Lavagem de La Madeleine

Pai Pote, o padre Brien McCarthy e o produtor Robertinho Chaves -foto Antonio cançado


Após cobrar publicamente o pagamento de uma dívida da Bahiatursa com a organização da Lavagem de La Madeleine, criada em Paris há 15 anos, o produtor cultural Robertinho Chaves, idealizador do evento, vai receber o repasse atrasado desde o fim do ano passado. 

Anteontem, o superintendente do órgão, Diogo Medrado, assinou o termo de reconhecimento de débito no valor de R$ 306 mil, destinados a ressarcir despesas com a última edição, realizada em setembro de 2016. 


O documento autoriza o governo a transferir verbas não previstas em contrato ou originadas de exercícios anteriores. No início de junho, Robertinho divulgou uma carta em que criticava a demora da Bahiatursa e alertava sobre a probabilidade de cancelar a Lavagem de 2017 por falta de recursos.


Água sem cheiro

O produtor afirmava ainda, em tom de desabafo, que a prefeitura da capital francesa ameaçou não renovar os acordos de parceria com a Associação Viva Madeleine, organizadora do evento, devido a dívidas pendentes com fornecedores, equipe técnica e empresas de montagem de palco, som e iluminação. Dias depois, Robertinho disse que manteria a Lavagem de pé mesmo sem o dinheiro prometido.


Dama de ferro

Em conversas com a equipe responsável pela produção da Lavagem de La Madeleine , Robertinho Chaves atribuiu o fim do impasse com a Bahiatursa à intervenção direta da produtora de cinema Paula Lavigne, ex-mulher de Caetano Veloso, principal atração do evento em 2016. Diante da repercussão provocada pelas queixas de Robertinho, ela teria telefonado para o governador Rui Costa (PT) e pedido o pagamento da dívida.

Leia mais: correio24horas

7 comentários:

  1. Cadê a crise financeira? Investir me outro país pode gastar a vontade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, levar dinheiro nosso para fora do país em uma crise dessas enquanto estamos com 14 milhões de desempregados e nossa cultura nem ministro tem. Fazer turismo com dinheiro nosso pode.

      Excluir
  2. Com certeza... Enquanto isso, várias pessoas passando fome, show de bola Bahiatursa.

    ResponderExcluir
  3. Se tivesse em crise não gastaria esse dinheiro ,se vcs tivesse juízo,é coração vcs pegavam esse dinheiro e fazia uma doação a algum hospital,ou creche ,concerteza na falta órgão necessitando dessa quantia .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amosantoamaro25/07/2017 15:50

      Bem lembrado, enquanto isso na cidade tem um exemplo no Esporte Marcelo, que pra participar dos campeonatos muitas das vezes seu Pai guerreiro, solicitava ajuda dos colegas na fábrica sendo que nem Prefeitura fazia grandes doações. Agora disponibilizar uma verba dessa pra bancar festa pra os irmãos que levam alegria pra outro País, Égua só nos tratando assim agora... E a merenda dos meninos se repetindo achocolatado com biscoito, muita calma nessa hora!

      Excluir
  4. A lavagem de La Madeleine, criada em Paris há 15 anos, o produtor cultural Robertinho Chaves, idealizador do evento, é uma replica da lavagem da Purificação da cidade de Santo Amaro, levado por um santoamarense.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Da mesma forma Tia Ciáta, levou o Samba de Roda para o Rio de Janeiro, também Santoamarense.

      Excluir

Todos os comentários serão moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas caluniosas, defamadoras, Inadequadas ou que possuam conteúdo ofensivo.

Os comentários postados são de inteira responsabilidade dos respectivos comentaristas e não correspondem, à opinião dos autores do Santo Amaro Notícias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...