2 de agosto de 2018

TJ-BA nega mais um habeas corpus para Ricardo Machado


Por unanimidade, a 1ª Turma da Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) negou, nesta quinta-feira (2), mais um habeas corpus impetrado pela defesa do ex-prefeito de Santo Amaro Ricardo Machado, alvo de três ações penais decorrentes da Operação Adsumus, que investiga desvios no município.

Em sessão nesta quinta, a defesa do ex-prefeito alegou que o Ministério Público, autor das denúncias, realizou um “fatiamento seletivo” e que os pedidos de prisão preventiva são “cópias” uns dos outros.


A defesa ainda pediu que a Turma do TJ seguisse decisão anterior da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que decretou a liberdade de Machado ao julgar o primeiro decreto prisional.

No entendimento dos defensores, não haveria “fato novo” para justificar os pedidos de prisão posteriores feitos pelo MP. “No caso deste habeas corpus, trata-se do terceiro decreto pedido pelo MP contra o mesmo paciente, em janeiro de 2017. 

Foi negado pelo juízo de primeiro grau e, mais de um ano depois, foi julgado por essa Turma e foi decretada a prisão sem que qualquer fato novo houvesse”, afirmou a advogada Gisela Borges. Também integrante da defesa, o advogado Gamil Föppel não compareceu à sessão.

Em seu voto, o desembargador Júlio Cezar Lemos Travessa, relator do caso, afirmou que a investigação foi desmembrada em diferentes ações penais porque cada estaria baseada em um eixo pelo qual ocorria o desvio do dinheiro público – obras públicas, locação de máquinas e veículos e compra de material de construção.

O desembargador reconheceu que Machado conseguiu um habeas corpus no STJ em uma das ações, mas ressaltou que “com relação à segunda demanda, houve decretação de prisão preventiva, que foi mantida pelo TJ e igualmente pelo STJ”.

“Ele [Machado] responde a três ações penais e tem duas prisões preventivas em vigor contra ele. […] Essas ações têm objetos distintos. Não existe uma repetição, um ‘copiar, colar’ no sentido de encetar uma caçada contra o paciente”, apontou Travessa.

4 comentários:

  1. A Justiça seja feita..Essa atitude dos Magistrados serve de exemplos para os demais que está na atual administração da cidade de Santo Amaro..Estamos de olho!

    ResponderExcluir
  2. Acreditei sempre em Richard. Agora vejo que ele é tao bandido como qualquer membro da quadrilha ptralha. Peço desculpa a todas as pessoas que bati boca defendendo o bandido condenado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obs: Apenas um das centenas que contribuíram para o desmanches do município de Santo Amaro, tão sofrido,tão acabado e tão desprezados com várias obras factóides, inclusive nós fomos enganados também! Ricardo foi a sequência dos demais gestores anteriores, desprovidos de respeitos com um povo quadricentenários de existências. Dias melhores viram tenha certeza! As histórias destes, não cairá no esquecimento.

      Excluir
  3. Um eixo pelo qual ocorria o desvio do dinheiro público.

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados e nos reservamos o direito de excluir mensagens consideradas caluniosas, defamadoras, Inadequadas ou que possuam conteúdo ofensivo.

Os comentários postados são de inteira responsabilidade dos respectivos comentaristas e não correspondem, à opinião dos autores do Santo Amaro Notícias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...